Sintra Palácios 1 dia

80 Euros

 

Sintra está rodeada por montes rochosos, encimada por um castelo, povoada por belos palácios e mansões do séc. XIX, além de possuir um parque florestal com uma densa floresta em que se incluem árvores e plantas exóticas de vários continentes, bem como as ruínas de um velho convento de monges eremitas. No cimo do seu monte mais alto temos o Castelo dos Mouros, do séc. X, construído inicialmente pelos muçulmanos e ampliado após a reconquista cristã. Na colina ao lado o exuberante Palácio da Pena, considerado o mais belo palácio da Europa, que congrega vários estilos e símbolos arquitetónicos do passado português, nomeadamente o gótico-manuelino e a cruz da Ordem de Cristo. Foi mandado edificar no séc. XIX pelo rei consorte Fernando II, aproveitando as ruínas do antigo mosteiro de Nossa Senhora da Pena, do séc. XVI, do qual ainda resta o claustro original. Foi habitados pelos últimos reis de Portugal – D. Carlos de Bragança e D. Amélia de Orleães -, dos quais ainda se podem ver muitas recordações durante a visita ao palácio, como é o caso dos seus quartos, casas de banho, atelier de pintura, quadros, fotografias e outros objetos pessoais. Todo o interior do palácio é rico em decoração com azulejos, estuques, pedras ornamentais, mobiliário europeu e exótico, porcelanas de variadas proveniências, entre muitos outros objetos dignos de interesse.

Outro monumento imperdível é o Palácio Nacional de Sintra (ou Palácio da Vila), situado na parte baixa da vila, notável pelas suas enormes chaminés brancas. É de origem mourisca e foi alvo de várias ampliações até ao séc. XVI, tendo sido também habitação real ao longo de vários séculos, desde o tempo de D Dinis (séc. XIII). É mais um grande testemunho de vários estilos arquitetónicos, que vão do hispano-mourisco ao renascentista, acabando no gótico-manuelino. O seu interior está igualmente bem recheado de mobiliário e objetos decorativos da época medieval em diante, incluindo azulejos hispano-árabes e magníficas pinturas decorativas.

Em Sintra poderá ainda apreciar o exótico e requintado Palácio de Monserrate, outra jóia da arquitetura romântica do século XIX, esculpido em pedra e estuques como se fosse feito de renda. Ou ainda a enigmática Quinta da Regaleira, repleta de simbologia relacionada com a Maçonaria e os rituais maçónicos, tendo no seu jardim um poço iniciático com uma escada em caracol. Em alternativa tem ainda as ruínas do Convento dos Capuchos, esculpido diretamente na rocha, em 1560, para albergar os frades da ordem de São Francisco de Assis que aqui viveram em total fusão com a natureza.

Por fim, resta-lhe saborear a doçaria típica de Sintra - os travesseiros, recheados com creme de ovos, e as queijadinhas, feitas de queijo, ovos e canela-, ou até provar um copo de vinho de Colares numa adega local. O vinho de Colares é único no mundo, pois as suas vinhas são primitivas e o seu enraizamento é feito em terrenos muito arenosos. Tem ainda a possibilidade de fazer um passeio de charrete pelas estradas estreitas, verdejantes e sinuosas desta romântica vila.

Duração: 
1 dia
Deve levar: 
Roupa confortável adequada à estação, sapatos confortáveis, óculos de sol, protetor solar e chapéu.
Condições: 
Preço por pessoa. Partida de Cascais +10 euros, e da Ericeira +20 euros. Drop in/ drop off; carrinha com ar condicionado. Oferta de garrafa de água e queijadinha. Não inclui: bilhetes de entrada, provas de vinho, almoço.
Fotos: 
Palácio de Monserrate (Parques de Sintra / EMIGUS); Palácio da Pena (Parques de Sintra / NES); Palácio da Vila, Sala dos Brasões (Parques de Sintra / Luís Pavão) ; Sintra, centro histórico e Castelo dos Mouros (CM de Sintra).